A pedra no rio.

Você já atirou uma pedra no rio? Sim, não é? Mas nunca pensou em voltar pra tirá-la. Imagine alguém atirando a pedra, então. Você, com certeza, imagina-se ou como expectador da cena, ao lado de quem atirou ou então como o próprio atirador. Você já se imaginou no lugar da pedra? Em um minuto está nas mãos de quem a segura com cuidado, manuseando, sentindo-se no movimento dos dedos, de mão pra mão. Carícias, cuidados. De repente, em um outro minuto, vupt! Cessa o calor das mãos que segurava. Vem um frio na barriga por estar voando livremente no ar, pelo lançamento até atingir um destino: as águas do rio. Depois do “lançar”, vem aproximando-se a água e num segundo o impacto sobre sua superfície e então o mergulho direto ao fundo. Não há como reclamar. Só lembrar do lançamento repentino e depois a acomodação gélida e dura do fundo do rio. Ao olhar pra cima, vê-se apenas o movimento da água, o azul e branco do céu. Só resta um pensamento: será que tem retorno? Será que quem abriu mão de ter nas mãos e lançou, virá buscar? Quais as chances? Não sei, parece que agora é só… esperar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s